Sem título-2-08.png
  • Junior Sas

Aos 116 anos, estação em Joinville começa a ganhar nova reforma



A nova reforma da Estação da Memória de Joinville, a antiga estação ferroviária, está em andamento e deve se estender até 2024. A restauração do conjunto tombado pelo patrimônio histórico está sendo executada pela concessionária da Malha Sul, da qual a construção faz parte. A recuperação foi determinada pela Justiça Federal em ação apresentada em 2008 pelo Ministério Público Federal e pelo Ministério Público de Santa Catarina. A última reforma foi executada pela prefeitura de Joinville, em 2008.


Conforme o cronograma apresentado durante a ação de execução da sentença, a restauração será dividida em três etapas. Nesta primeira fase, a cobertura, calhas e forros serão o foco dos trabalhos, além da fiação elétrica. Esse trabalho deverá durar cinco meses, conforme a Secretaria de Cultura e Turismo, em resposta à Câmara, baseada em informações da concessionária. Na sequência, em 2023, será a vez dos revestimentos, paredes internas, esquadrias e pisos. A última etapa será de reforma da plataforma.


A ação dos MPs foi apresentada porque houve alterações nas estações (e em outros espaços na região Norte) sem autorização do Iphan. A antiga concessionária alegou que foram tomadas medidas de manutenção. A decisão de 2008, mantida em outras instâncias, determinou a restauração. O projeto da reforma foi apresentado ao Iphan ainda no ano passado. Agora, está começando a execução.


O prédio, administrado pela prefeitura, está fechado para a visitação desde 2020. O entorno está liberado para eventos. O município alega “avarias estruturais” provocadas pela passagem dos trens de cargas na ferrovia que cruza a estação. O município pretende reabrir a Estação da Memória somente após a restauração. A estação ferroviária foi inaugurada em agosto de 1906, com a presença do então presidente Afonso Pena.


Fonte: NSC

Sem título-2-08.png