Sem título-2-08.png
  • Junior Sas

Argentina e Santa Catarina estreitam relações comerciais

Acordos, convênios e rodada de negócios podem gerar trocas comerciais importantes, em especial na área de alimentos


As relações comerciais entre Santa Catarina e a Argentina foram estreitadas nesta terça-feira (10),em Florianópolis, com a assinatura de acordos com a Acats (Associação Catarinense de Supermercados) e uma empresa de logística do Estado, e o anúncio para início das ações da Camarbra (Câmara de Comércio Argentino Brasileira), sediada no Estado de São Paulo, em solo catarinense.


Ao longo de todo o dia, o embaixador da Argentina no Brasil, Daniel Osvaldo Scioli, participou de encontros com empresários e autoridades locais, entre elas o governador do Estado, Carlos Moisés.


Para estreitar as relações foi realizada uma rodada de negócios do setor de alimentos, organizada pelo consulado argentino em Florianópolis, com 25 empresas do país vizinho. Santa Catarina é o terceiro mais parceiro comercial da Argentina no Brasil –fica atrás apenas de São Paulo e do Rio Grande do Sul.


“Um encontro de negócios do setor de alimentos realizado com muito êxito, com empresários brasileiros e argentinos que vieram especialmente a Florianópolis motivados por incentivo à política pública, mais competividade e força do comércio bilateral”, comentou o embaixador.


“Isso (acordo comercial) é importante porque ambos tiveram problemas como desemprego e queda na economia depois do impacto da pandemia. Nesse contexto internacional teremos que trabalhar juntos e juntos somos mais fortes. Juntos somos uma potência alimentar e industrial”, avaliou Scioli.


Ele citou como exemplo de relação comercial entre Argentina e Santa Catarina a província de Mendonza, com tradição de vinhos, que selecionou o Estado como um braço logístico de distribuição do produto em todo o Brasil. O embaixador enalteceu Florianópolis como principal destino turístico dos argentinos.


Cooperação é a palavra chave, diz catarinense


Durante a passagem do embaixador pela Capital catarinense também houve um encontro com representes das principais entidades empresariais do Estado para anunciar Rodrigo Prisco como representante de Santa Catarina na mais antiga câmara de comercio argentino-brasileira em atividade.


“Com a experiência acumulada em nossa Câmara do Comércio vamos criar um modelo inovador, eficiente, efetivo, onde teremos um diretor ligado à nossa Câmara aqui em Florianópolis para entender, conhecer e servir ao mercado local”, explicou o presidente da Camarbra, Federico Servideo.


Segundo Prisco, a intenção da Camarbra em Santa Catarina é de colaborar com a experiência nessa relação bilateral entre Argentina e Brasil.


“Junto com as entidades locais vamos interagir com o nosso ecossistema institucional para poder então gerar mais e melhores negócios entre os dois países. O principal desafio é trabalhar com a cooperação. Acho que a palavra chave é essa”, emendou o representante catarinense da Câmara de Comércio.


De olho no potencial dos supermercados


O embaixador da Argentina no Brasil, Daniel Osvaldo Scioli, assinou dois acordos referentes à logística por meio de um programa que visa a melhorar a competitividade dos produtos argentinos no Brasil através de parcerias com sócios relevantes e a difusão de produtos argentinos nos supermercados catarinenses.


“Foi um grande acordo firmado com a associação que une 100 redes de supermercados para tentarmos cada vez mais colocar os produtos argentinos, que são muito bem solicitados pela família brasileira”, disse o embaixador ao ressaltar a intenção de facilitar a difusão e a oferta de produtos argentinos e trocar informações sobre oportunidades de negócios.


O presidente da Acats, Francisco Crestani, disse que Santa Catarina é um grande importador de produtos do país vizinho, principalmente no setor supermercadista.


“Hoje nós estamos vendo aqui novos produtos, temos outras opções para o nosso Estado, para o nosso consumidor. Então é importante termos como ampliar as importações do nosso vizinho”, analisou.


Crestani destacou ainda a alteração na alíquota para entrada de produtos importados por Santa Catarina. “Agora vão ter que entrar por portos catarinenses para se beneficiarem com isso. Vejo que é mais uma oportunidade que Santa Catarina tem, que o nosso consumidor tem. E vamos ter novas oportunidades dentro do Estado”, finalizou.


Fonte: ND+


Sem título-2-08.png