Sem título-2-08.png
  • Junior Sas

Balneário Camboriú aposta em geotubos para conter formação de 'degrau' em praia alargada

Desnível surgiu na Praia Central na quinta-feira (20), 10 meses após o local passar por megaobra; a previsão é que as estruturas sejam instaladas em novembro.


A prefeitura de Balneário Camboriú vai instalar geotubos para conter a formação de um "degrau" em parte da faixa de areia da praia alargada na cidade. A escarpa, nome dado ao relevo formado pela erosão no trecho, surgiu na Praia Central na quinta-feira (20), 10 meses após o local passar pela megaobra.


Segundo o engenheiro e diretor de planejamento e gestão orçamentária do município, Toni Fausto Frainer, os geotubos são bolsas de grande volume de areia usados para conter o avanço da erosão.


O engenheiro, no entanto, afirmou que a pasta aguarda o projeto executivo da instalação, que tem previsão de entrega no mês de novembro. "Assim, com projeto finalizado, será possível executar", disse.


De acordo com a prefeitura, o desnível que apareceu no trecho tem altura aproximada de 1,80 metro e 200 metros de comprimento. Com a utilização dos geotubos, o município espera estabilizar trecho.


Em março deste ano, degraus e desníveis já haviam sido visualizados na orla de Balneário Camboriú.


Estrutura paliativa, avalia especialista

Na avaliação do geólogo e professor da Universidade Regional de Blumenau (Furb) Juarês José Aumond, a estrutura de geotubo será "paliativa" já que o degrau encontrado no local ocorre por um evento localizado, que deve desaparecer, mas vai voltar, conforme as ondas e ressacas.


"O engordamento da praia não eliminará a elevação do nível do mar que ocorre em escala mundial", afirma o professor ao chamar a atenção para a elevação do nível do mar, provocada pelo aquecimento global, segundo relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC).


Ainda de acordo com o especialista que estuda o tema há cerca de 40 anos, nem mesmo o engordamento da praia vai conseguir impedir o processo de erosão, que é natural das áreas marítimas. O estudioso ressalta a importância da vegetação de restinga, que mantém a estabilidade da praia.


No local, há um planejamento para o plantio da restinga, que é uma exigência do IMA para dar o licenciamento ambiental para a obra de alargamento.

O que aconteceu na praia na última semana

Conforme o engenheiro que trabalhou na obra de alargamento da praia, o desnível visto por moradores e banhistas na quinta foi resultado da ação das ondas mais fortes dos últimos dias. O processo, que ocorre naturalmente segundo o servidor, fez surgir uma estrutura de concreto que estava enterrada na areia.


De acordo com a prefeitura, o pilar pertenceu a um antigo restaurante flutuante que ficava atracado local. Com a obra, o estabelecimento foi trocado de local.


Imagens do local mostram o pilar parcialmente enterrado, próximo da água e de degraus, na região da praia conhecida como Barra Sul. A estrutura já foi retirada.


Obra de alargamento

O local passou por uma megaobra de alargamento durante quase todo o último ano. Durante meses, a faixa ficou interditada para a realização dos trabalhos.


Com o fim da obra, a largura da faixa de areia passou de uma média de 25 metros para 70 metros. Os trabalhos começaram em março e terminaram em dezembro de 2021. A largura da praia foi aumentada em toda a extensão da orla, que é de 5,8 quilômetros.


Fonte: G1



Sem título-2-08.png