Sem título-2-08.png

Biden reafirma que irá defender militarmente Taiwan em um possível ataque chinês

Presidente americano repetiu o que havia dito nesta segunda-feira.

O presidente americano Joe Biden disse nesta terça-feira (24) que não houve mudança na política dos EUA em Taiwan. Nesta segunda, o chefe da Casa Branca teria irritado a China ao dizer que estaria disposto a usar a força para defender a ilha democrática.

"A política não mudou em nada. Afirmei isso quando fiz minha declaração ontem", disse ele após as conversas com seus colegas da Quad. A China considera Taiwan uma parte inalienável de seu território e diz que é a questão mais sensível e importante em seu relacionamento com Washington. Alguns críticos disseram que ele falou mal sobre o assunto ou cometeu uma gafe, mas outros analistas sugeriram que, dada a extensa experiência de política externa de Biden e o contexto em que ele fez as observações, ao lado de Kishida e após a invasão russa da Ucrânia , ele não tinha falado em erro.


A questão de Taiwan pairou sobre uma reunião em Tóquio de líderes do grupo Quad, composto por Estados Unidos, Japão, Austrália e Índia, que destacaram sua determinação em garantir uma região Indo-Pacífico livre e aberta.


Os quatro líderes disseram em um comunicado conjunto divulgado após suas conversas que "discutiram suas respectivas respostas ao conflito na Ucrânia e à trágica crise humanitária em curso".


Fumio Kishida, primeiro-ministro japonês, disse que os líderes, incluindo o primeiro-ministro Narendra Modi da Índia, compartilharam suas preocupações sobre a Ucrânia e todos os quatro concordaram com a importância do estado de direito, soberania e integridade territorial.


Por outro lado, o comentário de Biden sobre Taiwan, que nem sequer foi um tópico oficial da agenda na reunião do Quad, foi o foco de grande parte da atenção das delegações e da mídia.


Fonte: G1

Sem título-2-08.png