Sem título-2-08.png
  • Junior Sas

Caso de idoso de 106 anos que mora na rua em SC será acompanhado pelo Ministério Público

Objetivo da promotoria é que o idoso receba a devida assistência


O caso de um idoso de 106 anos que vive em situação de rua em Itaiópolis, no Planalto Norte catarinense, será acompanhado pelo Ministério Público, que instaurou um procedimento administrativo para acompanhar e garantir que o homem receba a devida assistência do município.


Em relatório apresentado ao Ministério Público, a prefeitura confirmou a idade de Valdevino, que tem registro de nascimento em 28 de agosto de 1915. O poder público municipal também informou que na abordagem psicossocial, o idoso contou que tem filhos, porém não tem contato com eles há muito tempo.


De acordo com a promotoria, Valdevino Rodrigues diz que mora na rua por opção e que tem receita para se manter. O homem ainda contou que recebe um salário mínimo por mês e que não tem interesse em ser acolhido em abrigo, já que vive bem da forma que está.


Com o procedimento, o objetivo do MP é fazer com que o idoso tenha o devido atendimento da equipe de Proteção Social Especial da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social e Habitação de Itaiópolis, além de lhe serem garantidos os direitos básicos e fundamentais.


Este trabalho deve ser feito por meio de uma nova abordagem ao idoso para verificar a sua situação de vida, coletar informações sobre o benefício previdenciário que recebe e detalhar suas ações diárias como alimentação, remédios, consultas médicas e o atual local onde se encontra.


Os profissionais da equipe de Proteção Social Especial ainda deverão questioná-lo sobre os familiares do idoso. Todas as informações solicitadas devem ser enviadas à Promotoria de Justiça no prazo de 10 dias.


Pedro Decomain, responsável pela Promotoria de Itaiópolis, ressalta que o objetivo com com cumprimento do procedimento administrativo "é que se obtenha local condigno para moradia do idoso, que no momento, foi acolhido por uma senhora, mas, se for necessário, será buscado o acolhimento institucional."


Fonte: NSC

Sem título-2-08.png