top of page
Sem título-2-08.png

Casos ativos de Covid em SC caem pela metade em um mês

Queda seria motivada pela cobertura vacinal e o arrefecimento da onda de casos que afetou SC até julho



O número de casos de Covid-19 ativos em Santa Catarina caiu pela metade no mês de agosto. Os dados são do Painel do Coronavírus do NSC Total, atualizados nesta quarta-feira (31). Nesse período, o total de casos ativos por dia passou de 8.660 para 3.634 em todo o Estado.


De acordo com o superintendente da Diretoria de Vigilância Sanitária do Estado, Eduardo Macário, a queda é motivada pela cobertura vacinal contra a doença e o arrefecimento da onda de casos que afetou SC até julho deste ano.


Ele explica que a primeira onda de casos deste ano aconteceu em janeiro, com a variante Ômicron. Segundo Macário, na época, Santa Catarina chegou a registrar em um único dia 80 mil casos ativos. O pico de casos mais recente aconteceu em função da variante da Ômicron, a BA.2.5.


Essa subvariante causou um aumento de casos, que não teve um impacto na população porque encontrou uma população vacinada com dose de reforço. O que a gente tem percebido é uma diminuição na circulação, no número de casos de Covid — explica.


Ele explica que diversos fatores podem ajudar na redução de casos, entre eles, o fim do inverno. Conforme Macário, doenças respiratórias tendem a diminuir com o aumento das temperaturas.


No entanto, afirma que é preciso estar em alerta. Isso porque a cobertura vacinal entre os grupos mais vulneráveis ainda é baixa. Se tratam de crianças menores de cinco anos que ainda não foram imunizadas contra a Covid, e das pessoas maiores de 50 anos que não tomaram a primeira e segunda dose de reforço contra o vírus.


— Se a gente tivesse uma cobertura maior nessas faixas etárias, a redução de casos graves estaria muito maior. Uma coisa que a gente ainda não conseguiu fazer é não ter nenhuma morte ao longo de uma semana. É uma média de duas a três mortes por dia, o que é um número muito grande, a gente esperava que esse número seria menor a essa altura — lamenta.


A Dive acompanha a evolução de variantes no cenário internacional, responsáveis por ondas de casos que podem anteceder novas fases de enfrentamento do vírus em Santa Catarina.


— Embora a gente tenha 4 mil casos ativos por dia, o que é uma quantidade considerável, o pior já passou. A menos que uma nova variante acabe surgindo e mudando esse cenário — explica o superintendente.


Fonte: NSC

bottom of page