Sem título-2-08.png

China se irrita com críticas de chefe da OMS à sua política de “Covid zero”

Em entrevista coletiva, Tedros Adhanom disse que sistema chinês de combate à pandemia "não é sunstentável"


O Ministério das Relações Exteriores da China pediu ao diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS) que evite fazer comentários “irresponsáveis”, depois de Tedros Adhanom dizer que a política de “Covid zero” da China “não é sustentável”.


Em uma coletiva de imprensa em Pequim nesta quarta-feira (11), o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Zhao Lijian, defendeu as medidas da China no combate à pandemia e disse que o país espera que o diretor-geral da OMS possa ver as políticas chinesas contra a Covid de forma objetiva.


Tedros disse na terça-feira (10) que a política de tolerância zero da China à Covid-19 não é sustentável, dado o que se sabe agora sobre o vírus, em raros comentários públicos da agência sobre às políticas de um governo contra a pandemia.


“Não achamos que seja sustentável, considerando o comportamento do vírus e o que agora prevemos para o futuro”, disse o diretor-geral em entrevista coletiva.


“Discutimos esta questão com especialistas chineses. E indicamos que a abordagem não será sustentável… Acho que uma mudança seria muito importante.”


Tedros destacou que o aumento do conhecimento sobre o vírus e melhores ferramentas para combatê-lo também sugerem que é hora de uma mudança de estratégia.


Os comentários vêm depois que os líderes da China repetiram sua determinação de combater o vírus com medidas duras e ameaçaram ações contra os críticos em casa, mesmo quando bloqueios rígidos e prolongados cobram um preço pesado para a segunda maior economia do mundo.


Fonte: CNN Brasil




Sem título-2-08.png