Sem título-2-08.png
  • Junior Sas

Creche em Florianópolis é investigada por maus-tratos após denúncias de pais

Pais relataram que crianças chegavam em casa com fome e tiveram mudança para comportamento agressivo



Uma creche particular de Florianópolis é investigada pela Polícia Civil após pais de alunos terem relatado suspeitas de maus-tratos às crianças. Entre eles, circulam vídeos que teriam sido gravados no local, aos quais a NSC TV teve acesso. Um deles mostra uma mulher usando um cobertor para abafar o choro de uma bebê.


— Para com essa porcaria, chata! — diz a mulher ao não conseguir interromper o choro da criança. O pai da menina, Iohan Vieira Krause, diz que ainda tenta deixar ela bem.

— Eu só quero ficar com ela. Eu só quero ver se eu consigo recuperar o sorriso que ela dava para mim, é a única coisa que eu quero recuperar nesse momento. Minha única preocupação é fazer com que ela fique bem — disse ele.


Ex-funcionárias da creche relataram, também à NSC TV, mas na condição de anonimato, que essa era apenas uma das situações que ocorriam no local. Segundo elas, era comum que as crianças fossem isoladas das demais caso fizessem algo que desagradasse as pessoas responsáveis. Teriam ocorrido ainda casos de agressões com brinquedos.


A mãe de um aluno disse, também sem ter identidade revelada, que o filho mostrou alteração de comportamento em meio às suspeitas sobre a creche.


— Ele tava puxando a orelha da gente. Eu nunca nem imaginei o motivo disso, porque eu nunca encostei a mão no meu filho — relatou. Ao menos outros dois pais fizeram relato semelhante à NSC TV.


Uma das ex-funcionárias afirmou que o Conseho Tutelar foi avisado sobre a situação. No entanto, a creche é protegida por um portão e tem entrada vigiada por câmeras. Eventuais visitantes, como conselheiros tutelares, eram anunciados pelas imagens de segurança antes de entrarem de fato no local, o que permitia que o ambiente fosse alterado a tempo, para que não houvesse suspeita de irregularidades.


Pais dos alunos ainda contaram que a comida cedida às crianças, o que estava previsto na mensalidade do local, era ofertada em quantidade insuficiente. Disseram também que elas chegavam em casa com fome depois de passarem o dia na creche.

Mulher usou coberta para abafar choro de criança - NSC TV/Reprodução Pais relataram que filhos recebiam pouca comida no local - NSC TV/Reprodução Alimentação de crianças estava inclusa em mensalidade - NSC TV/Reprodução Crianças chegavam em casa com fome, segundo os pais - NSC TV/Reprodução


A NSC TV foi à creche no último sábado (2), quando faixas que identificavam o local acabaram retiradas por volta das 16h. Pouco depois, às 20h, advogados que representam a administração do espaço divulgaram um comunicado.


"Fake news", dizia a publicação sobre as suspeitas de maus-tratos. Os representantes da creche afirmaram ainda não reconhecer a validade das imagens que circulam entre os pais do alunos e que estão à disposição para prestarem eventuais esclarecimentos.


O comunicado acrescenta que as atividades do local foram suspensas por tempo indeterminado a partir desta segunda (4). A diretora da creche não quis se manifestar ao ser procurada pela NSC TV.


As suspeitas do pais foram levadas à Polícia Civil, que deve abrir inquérito para apurar o caso, também conforme comunicou à reportagem.


Fonte: NSC


Sem título-2-08.png