Sem título-2-08.png
  • Junior Sas

Criança de 2 anos morre em hospital superlotado de SC; Saúde investiga

Segundo a SES, hospital em Florianópolis está com leitos pediátricos e neonatais lotados. Em junho, um bebê morreu na unidade.


Uma criança de dois anos e quatro meses morreu na emergência do Hospital Infantil Joana de Gusmão em Florianópolis. A informação foi confirmada pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) nesta terça-feira (12), que informou que uma investigação será realizada para apurar a conduta do atendimento. A unidade está lotada.


De acordo com a SES, por meio de assessoria, a menina havia passado por outras unidades de saúde e, quando chegou no hospital estadual, estava em estado crítico (nota abaixo).

Ainda segundo a pasta, após dar entrada no hospital, na noite de domingo (10), a paciente foi encaminhada à sala de emergência onde seria estabilizada, mas por conta da gravidade acabou morrendo na madrugada de segunda-feira (11).


O painel de leitos da SES, atualizado às 11h desta terça, mostra que o hospital está com leitos pediátricos e neonatais lotados.


Em âmbito estadual, a taxa de ocupação de UTIs pediátricas é de 99,15%. Em relação aos leitos neonatal, 186 das 191 vagas no Estado estão ocupadas.


Conforme a pasta, a menina apresentava problemas respiratórios. A equipe investiga se ela tinha alguma outra doença associada.


Segundo caso em um mês


Há um mês, um bebê de dois meses morreu no mesmo hospital após ter três paradas cardiorrespiratórias. De acordo com a mãe, Samara Ester dos Santos, a paciente ficou dois dias à espera de uma vaga na UTI da unidade. A morte foi confirmada pela SES em 13 de junho.


Na ocasião, as vagas na UTI também estavam lotadas. O caso é investigado pela pasta.

Uma funcionária, que prefere não ser identificada, falou que crianças demoram para ser atendidas por causa da alta demanda.

"A gente está vivendo uma situação desesperadora. Em muitos anos de hospital, eu nunca vi a situação chegar nesse extremo. Infelizmente, a gente tem que estar dando prioridade para as mais graves", afirmou.

Contraponto

"A Secretaria de Estado da Saúde se solidariza com a família da criança que veio a óbito no Hospital Infantil Joana de Gusmão e informa que a paciente chegou à unidade de saúde em estado demasiadamente agravado, sendo que a equipe prestou todo o atendimento possível. Por conta da condição clínica, a criança foi conduzida diretamente ao atendimento de sala vermelha e, apesar dos esforços, evoluiu para o óbito rapidamente".


Fonte: G1

Sem título-2-08.png