Sem título-2-08.png
  • Gabriel Jr

Encontro fortalece rede de atendimento à mulher vítima de violência em Jaraguá



Na tarde desta terça-feira (9), a Procuradoria da Mulher da Câmara Municipal de Jaraguá do Sul realizou o seu primeiro evento oficial no auditório Torre da Unisociesc, no Jaraguá do Sul Park Shopping. Foi um encontro para formalizar e fortalecer a rede de atendimento à mulher vítima de violência, que conta com várias entidades, como Conselho Tutelar, Coletivo Feminino, Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, Rede Feminina de Combate ao Câncer, projeto As Sementeiras, Soroptimistas, Bombeiros Voluntários, 12º Batalhão da Polícia Militar, Associação de Clube de Mães, Epagri, Instituto Casa de Mulher e instituições religiosas. Na oportunidade, todas as instituições puderam se apresentar umas as outras e trocar ideias sobre as formas de atuação em conjunto.


Em uma das apresentações, o promotor de Justiça Dr. Guilherme Luís Morelli afirmou que este é um momento histórico para o país e para a sociedade, já que os paradigmas sobre a violência contra a mulher estão mudando de forma radial. Ele lembrou de épocas passadas em que as mulheres eram tuteladas pelos maridos e impedidas de realizar muitas atividades, coisa que atualmente é repudiável.


Além dele, a delegada de Polícia de Proteção à Mulher, à Criança e ao Adolescente (DPCAMI), Roberta França, a secretária geral adjunta da OAB/SC e membro da Comissão Nacional da Mulher Advogada OAB, Luciane Mortari, o Pastor Rudi Sano, do Instituto Casa Mulher, a chefe de Gabinete do prefeito, Emanuela Wolff, a prefeita da Unisociesc campus Jaragua do Sul, Giselle Domingos, a sargento Monalisa Maurissens e a soldado Bruna da Silva, ambas da Rede Catarina, e as representantes da Secretaria de Assistência Social, a psicóloga Joana Lenzi, a assistente social Suelen Pucci e a gerente de Proteção Social Especial de Média Complexidade, Marinez Larroza, também discursaram.


“Não é só a PM que é responsável por esse cenário, toda a sociedade envolvida vai gerar um futuro melhor. E que a gente possa dar encaminhamentos melhores para essas mulheres e com mais celeridade”, enfatizou a sargento Monalisa Maurissens.


A procuradora da Mulher, vereadora Nina Santin Camello (Progressistas), abriu os trabalhos ressaltando que é preciso fortalecer o trabalho realizado nos diversos setores de atendimento às mulheres. “E só iremos conseguir isso se nos darmos as mãos e trabalharmos em conjunto. Sororidade é a união entre mulheres, baseado na empatia e no companheirismo, em busca de alcançar objetivos em comum. Com certeza precisamos não só falar essa palavra, mas praticá-la no nosso dia a dia”, frisou.


A procuradora adjunta, vereadora Sirley Schappo (Novo) afirmou que o evento já rendeu frutos e promete ser um ponto fundamental no desenrolar das ações promovidas pelas entidades. “O evento atingiu o objetivo de apresentar a rede de atendimento a mulheres vítimas de violência e para trocarmos experiências. Deste encontro, já surgiram novas voluntárias para atuar em entidades e isso é muito positivo. Pudemos ver que tem muita gente disposta a fazer a diferença em nossa cidade”, enfatizou.


A intenção das procuradoras da Mulher é a de realizar o mesmo encontro todos os anos, buscando fortalecer cada vez mais a rede de atendimento.

Sem título-2-08.png