Sem título-2-08.png
  • Junior Sas

Estudo sobre concessão será decisivo para futuro do contorno de Joinville



Um estudo em andamento decisivo para o futuro dos contornos ferroviários de Joinville e de São Francisco do Sul. Contratada pela EPL, a empresa de planejamento do Ministério da Infraestrutura, empresa faz a análise da concessão da Malha Sul - a antecipação da prorrogação do contrato foi solicitada pela atual concessionária a Rumo. No estudo, serão definidos quais investimentos deverão ser realizados pelo futuro contrato. O governo federal quer assinar a prorrogação até o final de 2023.


A inclusão dos contornos no futuro contrato é a esperança de retomadas das obras paradas desde 2011. Não há previsão orçamentária para os contornos e o Ministério da Infraestrutura não tem dados sinais que pretende investir na construção dos ramais para a retirada da passagem dos trens de cargas de áreas urbanas. Somente para o contorno de Joinville, são necessários mais de R$ 400 milhões.


Por causa disso, o novo contrato, com a concessionária bancando as obras, virou a esperança de conclusão do contorno. A ideia não é nova, mas vem sendo reforçada nos últimos meses. O coordenador do Fórum Parlamentar Catarinense, Darci de Matos (PSD) alega não vê possibilidade de obra sair se não for meio da prorrogação.


O estudo contratado pela EPL prevê um plano de negócios para o novo período do contrato. Além da modelagem financeira, estão previstas avaliações de demanda, operação e de investimentos. A duração do atual contrato, iniciado em 1997, vai até 2027 – a antecipação da prorrogação é para adiantar os investimentos na malha.


Fonte: NSC

Sem título-2-08.png