Sem título-2-08.png

Foguete será lançado no Brasil por agência aeroespacial sul coreana

A startup está desenvolvendo um foguete híbrido movido a combustível sólido e líquido


A primeira empresa privada a enviar um foguete do centro de lançamentos de Alcântara, no Maranhão, em dezembro, será a sul-coreana Innospace. A informação foi dada pelo presidente da Agência Espacial Brasileira, Carlos Moura, à Reuters, no dia 17 deste mês.

Segundo Moura, o foguete ainda em desenvolvimento, é experimental e faz parte de um planejamento para tornar os lançamentos de pequenos satélites de baixo custo mais acessíveis de vários locais ao redor do mundo.


A startup está desenvolvendo um foguete híbrido movido a combustível sólido e líquido. Ao ser testado em um voo suborbital que transportará uma carga útil do sistema de navegação inercial para a Força Aérea Brasileira (FAB) que opera a base de Alcântara.


“O Brasil espera obter uma fatia do mercado de lançamentos de pequenos satélites, em rápido crescimento, oferecendo sua base em Alcântara. A localização na costa atlântica na linha do equador oferece um privilégio econômico, pois reduz os custos de combustível, uma vez que os satélites não precisam viajar tão longe para entrar em órbita”, disse Moura.


A empresa aeroespacial canadense C6 Launch Systems Inc, que no ano passado obteve uma licença de operadora brasileira, planeja um lançamento de Alcântara em 2023. Já a Orion AST, com sede na Virgínia, que planeja lançamentos inicialmente destinados à coleta de lixo espacial, não fez nenhum progresso, disse o presidente da Agência Espacial Brasileira.


Ainda segundo Moura, as empresas menores de satélites estão tendo dificuldades em reservar lançamentos em sites existentes, com lista de espera de dois a três anos. Dessa forma, a base de Alcântara pode ser tornar uma alternativa bastante promissora.


Fonte: JDV

Sem título-2-08.png