Sem título-2-08.png
  • Junior Sas

Joinville vai tentar “dividir” custo de hospital com outras cidades



Além do repasse do governo do Estado, a prefeitura de Joinville vai tentar dividir a conta do Hospital Municipal São José com outros municípios. A cobrança seria pelos custos de internação dos pacientes de outras cidades. Todos os procedimentos realizados no hospital, independentemente do município do paciente, são pagos pelo SUS, mas com a desatualização da tabela, alega a prefeitura, há um déficit, coberto por Joinville. A “diferença” seria dividida com outros municípios, em montante proporcional às internações. Em conta preliminar, a receita poderia ficar em R$ 4 milhões mensais para o hospital. Não há previsão de quando os convênios poderão ser assinados.


A discussão do custeio do São José já estava em pauta pela prefeitura de Joinville e ganhou mais força com a formação de grupo de trabalho pelo Tribunal de Contas do Estado para tentar buscar mais fontes de recursos para o hospital. Em junho, o conselheiro Luiz Eduardo Cherem considerou “injusta” a situação na qual prefeituras responsáveis por hospitais municipais tenham que bancar integralmente um atendimento feito de forma regionalizada. Para Cherem, Estado e demais municípios devem participar.


Na semana passada, o TCE reuniu os prefeitos de Joinville, Adriano Silva, e de Balneário Camboriú, Fabricio Oliveira, para discutir o financiamento dos hospitais municipais. Desse encontro, saiu a proposta de formação do grupo de estudos. Joinville vinha cobrando participação do Estado, desde governos anteriores. Mesmo o rateio com os demais munícipios já estava nos planos. A prefeitura temalegado que perto de 30% dos atendimentos no São José são de pacientes de outras cidades.


O sistema de acompanhamento das receitas e despesas do Hospital São José teria, agora, a capacidade de especificar o custo de cada atendimento, levando o que foi pago pelo SUS (receita) e o custeio de folha de pessoal, medicamentos e apoio, entre outras despesas. O custo médio da internação é de R$ 18,3 mil. As despesas com emergência não entrariam na divisão com as demais prefeituras. O São José atende pacientes de 148 cidades.


Fonte: NSC

Sem título-2-08.png