Sem título-2-08.png

'Nasceu de novo', diz mãe de menino que teve pescoço cortado por linha de cerol

A mulher conta que o filho precisou de 12 pontos. Ele andava de bicicleta quando sofreu os ferimentos.


Um menino de 13 anos teve o pescoço cortado por uma linha de cerol em Camboriú, no Litoral Norte, próximo a um parquinho infantil. O jovem andava de bicicleta quando sofreu os ferimentos. Ele precisou de 12 pontos, segundo a mãe, Silvana Maria Vicente.


"A médica que o atendeu disse que ele nasceu de novo. Por pouco não pegou na veia do coração", desabafa.


O caso ocorreu no domingo (12). Segundo Silvana, a pessoa que estava com a pipa viu o menino se ferir, mas não prestou socorro. O homem aparentava ser mais velho e estava acompanhada de uma criança.


"Ele viu o pescoço do meu filho e não ajudou. Então, meu filho veio até onde eu estava, sozinho, pedalando. Quando vi ele se aproximando com muito sangue, perguntei o que tinha acontecido. Ele levantou o pescoço e eu me desesperei", lembra.

Após ver os ferimentos, a mulher disse que pediu ajuda de um conhecido que passava próximo ao local e foi até um hospital, onde o adolescente recebeu atendimento. "Ele está bem, agora. Estamos indo com ele no posto de saúde fazer os curativo", diz.

A Polícia Militar não foi acionada para atender a ocorrência. Segundo a mãe, ela só pensou em correr para um hospital para salvar o filho. Mais tarde, passado o susto, a família também não procurou a Polícia Civil por não conhecer a pessoa que usava a linha de cerol.


Polícia Civil se manifesta

Procurada, a Polícia Civil informou que não havia investigação sobre o caso, pois não houve registro de boletim de ocorrência.


O delegado Ricardo Casarolli, no entanto, afirmou, em vídeo, que o uso de cerol em pipas pode ser caracterizado como crime se houver lesão corporal.

"Não existe proibição legal da prática, mas as consequências de quem age dessa maneira podem gerar uma responsabilização criminal", afirma.

Em nota, a Polícia Civil ainda alertou para os perigos do material. Isso porque o cerol é uma a mistura de vidro moído com cola, tornando a linha da pipa altamente cortante. Segundo o órgão, o risco aumenta com a chegada do inverno, já que a temporada de ventos mais intensos são convidativas para a prática de empinar pipas.


Fonte: G1

Sem título-2-08.png