Sem título-2-08.png
  • Junior Sas

Pacientes de Joinville reclamam de falta de remédios para tratamento de câncer em hospital

Prefeitura admite falta, mas afirma que medicamentos estão sendo substituídos por outros com o mesmo efeito


O Hospital Municipal São José está com a falta de alguns medicamentos básicos para tratamento do câncer, de acordo com pacientes da unidade. O problema teria começado há cerca de duas semanas e foi divulgado pelo Jornal do Almoço, da NSC TV.


Uma das pessoas prejudicadas é o marido da fotógrafa Andrieli Freitas, que foi diagnosticado com leucemia mieloide aguda, um tipo de tumor que afeta a medula óssea, responsável pela produção das células sanguíneas.


O tratamento de Vanei é realizado no Hospital São José, onde ele começou a tomar os medicamentos Imipenem e Anidulafungina. Segundo Andrieli, as duas medicações acabaram e foram substituídas por outra chamada Amicacina. Esta última também está em falta e precisou ser trocada pela Anfotericina.


A esposa reclama que a alteração dos medicamentos fez o estado de saúde do marido piorar nos últimos dias, o que a deixa aflita por não saber o que pode acontecer.


— Como ele [o medicamento] está sendo iniciado do zero, ele [Vanei] não está muito bem. Está tendo febre direto, está com problemas na boca por causa da imunidade totalmente zerada, as plaquetas baixaram, então ele fica muito mal — contou à NSC TV.


Enquanto o problema não é resolvido, Andrieli tenta buscar forças com o marido para se segurar na esperança de que o tratamento termine bem.


— É difícil porque mexe com todo o psicológico. A gente vive em uma corda bamba, não consegue ter uma certeza do amanhã.


Prefeitura admite falta de medicamentos


Para a NSC TV, a prefeitura de Joinville informou que quatro medicamentos para o tratamento oncológico não estão disponíveis, mas apenas um é antibiótico. Os demais são para outras finalidades.


O município reforçou que os remédios estão sendo substituídos por outros que têm o mesmo efeito no paciente.


A prefeitura ainda afirmou que o agravamento do quadro de Vanei se deve à doença que enfrenta e não à falta de medicamentos no Hospital São José.


Fonte: NSC

Sem título-2-08.png