Sem título-2-08.png

Padrasto indiciado por matar menina em SC deu aula de luta após agredir enteada

Homem voltou a agredir a criança ao retornar para casa após o trabalho, em Timbó, segundo delegado responsável pelo caso. Luna Nathielli Bonett Gonçalves não resistiu aos ferimentos.

A Polícia Civil concluiu que, ao contrário das versões da mãe, o padrasto de Luna Nathielli Bonett Gonçalves foi o responsável pelas agressões que resultaram na morte da menina de 11 anos em Timbó, no Vale do Itajaí, em 14 de abril.


Nesta segunda-feira (13), o delegado André Beckman deu detalhes da investigação. "Apanhou a ponto de ficar desacordada [...]. A partir desde momento, foi transferida para outro quarto e o indiciado saiu para dar aula de artes marciais. Quando retornou, voltou a agredi-la. A criança, de tão lesionada, veio a óbito", disse.


A violência ocorreu logo depois que o padrasto retornou do colégio em que a menina estava matriculada, segundo o delegado. "Ele não conseguiu [transferir a enteada de escola], motivo pelo qual começou as agressões contra ela com socos e com os instrumentos já apreendidos", explicou.


O homem e a mãe da criança foram indiciados por feminicídio, estupro de vulnerável e tortura e tiveram as prisões temporárias convertidas para preventivas, que não têm prazo de validade.


Fonte: G1

Sem título-2-08.png