Sem título-2-08.png

Porco-espinho é resgatado no bairro Rau em Jaraguá



Técnicos da Fundação Jaraguaense de Meio Ambiente (Fujama) promoveram o resgate de um porco-espinho (Coendou prehensilis) no bairro Rau. O animal estava em cima de uma árvore no quintal de uma residência. “Ele se escondeu entre as folhas para fugir de cães que o teriam acuado”, destacou o biólogo da Fujama, Gilberto Duwe. “A remoção ocorreu também para preservar os animais domésticos. Afinal, porco-espinho poderia descer da árvore e se fosse atacado pelos cães esses animais poderiam acabar espetados.”


O biólogo também declarou que existe muitos mitos em relação a esta espécie. “Um deles é que o animal lança os espinhos quando se sente ameaçado. Isso não acontece. O que acontece que este espinho – que se trata de um pelo modificado – se solta do corpo do animal quando alguém encosta nele, mas não chega a lançar o espinho em ninguém. Também, ao contrário do que alguns acreditam, não existe nenhum veneno nesses espinhos. Eles são pontiagudos e que pode causar ferimento quando entram na pele.


Após ser examinado e constatado que estava bem, o porco-espinho foi solto em área de preservação ambiental nos limites de Jaraguá do Sul. Até o momento neste ano o Programa Resgate de Fauna da Fujama – que conta com apoio dos Bombeiros Voluntários - já resgatou mais de 400 animais silvestres entre répteis, mamíferos e aves pertencentes ao bioma da Mata Atlântica.

Sem título-2-08.png