Sem título-2-08.png

Produção industrial varia 0,1% em abril e acumula queda de 3,4% no ano, diz IBGE

Retomada do setor ainda é dificultada por aumento do custo de produção e escassez de matérias-primas, segundo especialista; dado veio em linha com o esperado

A produção industrial variou 0,1% abril, terceiro mês seguido de taxa positiva, acumulando alta de 1,4% nesse período. No ano, porém, o setor registra queda de 3,4%, informou o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta sexta-feira (3).


Na comparação com abril de 2021, a produção caiu 0,5%. A queda anual é a menor da sequência de nove recuos consecutivos, destaca Lucas Godoi, economista-chefe da Go Associados. O especialista destaca ainda que o IBGE revisou o dado de março, que passou de alta de 0,3% para 0,6%.


A expectativa do mercado financeiro ficava em torno de uma alta de 0,1% no mês e queda de 0,8% na comparação anual.


Para Godoi, apesar de vir em linha com o esperado, o resultado mostra que a indústria vem andando de lado: “Uma evolução dos últimos meses, mas ainda bem tímida e com muitas dificuldades”, diz.


Segundo André Macedo, gerente da Pesquisa Industrial Mensal (PIM), a melhora no comportamento da indústria nos últimos três meses está atrelada ao fim das restrições sanitárias, ainda que o movimento seja modesto e insuficiente para compensar a perda de 1,9% registrada em janeiro.


“Mesmo que nos últimos 6 meses a indústria tenha mostrado 5 taxas no campo positivo, ainda assim está 1,5% abaixo de fevereiro de 2020 e 18% abaixo do ponto mais alto da série, em maio de 2011”, diz o especialista em nota.


Macedo ressalta que a retomada da indústria ainda é dificultada por uma série de fatores, como aumento do custo de produção e escassez de matérias-primas.


“Os juros elevados dificultam o acesso ao crédito e inibem os investimentos, a inflação em patamares elevados diminui a renda das famílias, o mercado de trabalho ainda não se recuperou e a massa de rendimentos não avança. Assim, há menor recurso por parte das famílias para que a demanda doméstica alavanque o consumo e a produção”, diz.

Das 26 atividades monitoradas no setor, 16 registraram alta em abril, com destaque para coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis, diz o IBGE. Essa atividade apresenta crescimento de 4,6%, após dois meses seguidos de queda, período em que acumulou perda de 2,6%.


Outras atividades que contribuíram para a variação positiva de abril foram: bebidas (5,2%) e outros produtos químicos (2,8%), diz o instituto.


Fonte: CNN Brasil

Sem título-2-08.png