Sem título-2-08.png

Quatro regiões de SC estão sem vagas de UTI para crianças, diz Saúde

Os dados atualizados revelam que apenas três regiões catarinenses contam com leitos de terapia intensiva neonatal e pediátrica



Santa Catarina tem 97,07% de ocupação dos leitos de UTIs (Unidade de Terapia Intensiva) ativos para crianças. Os dados são do Painel de Leitos de UTI, atualizado na manhã deste domingo (17) pela Secretaria de Estado da Saúde.


As regiões Oeste, Vale do Itajaí, Grande Florianópolis e Sul estão com 100% de ocupação dos leitos de terapia intensiva neonatal e pediátrica. O Planalto Norte, o Meio-Oeste e o Foz do Rio Itajaí são as únicas áreas com leitos disponíveis, porém a taxa de ocupação nestes locais chega a 97%.


De acordo com os dados do governo catarinense, estão ativos no estado um total de 307 leitos de terapia intensiva para crianças, mas 298 estão ocupados. Há apenas nove leitos disponíveis, segundo a última atualização: quatro no Meio-Oeste, dois no Planalto Norte e três na região do Foz do Itajaí.


Neonatal


Dos 190 leitos de terapia intensiva neonatal, 188 estão ocupados, ou seja, apenas dois estão disponíveis no estado. Isso representa 98,95% da taxa de ocupação no setor. As únicas vagas estão na região do Meio-Oeste.


Pediátrico


Dos 117 leitos de UTI pediátrica, 110 estão ocupados, restando apenas sete vagas: duas no Meio-Oeste, três no Foz do Rio Itajaí e duas no Planalto Norte. A taxa de ocupação chega a 94,02%.


Vale destacar a ressalva contida na própria publicação do Estado, de que “O indicador da taxa de ocupação é virtualmente inferior à taxa de ocupação real devido à rotatividade dos pacientes e aos horários de atualização do painel. Quando liberado, um leito constará temporariamente como disponível mesmo que já esteja reservado para algum paciente.”


Colapso


O colapso na rede pública de saúde infantil é sentido desde abril deste ano. A Procuradoria-Geral do Estado de Santa Catarina solicitou no início da noite de sexta-feira, uma audiência com a Justiça de SC para tratar da disponibilização de leitos de UTI pediátricos e neonatais na rede pública estadual de saúde. Isso porque, a Justiça condenou o estado na quinta-feira, a disponibilizar leitos.


A justificativa é que o Estado de Santa Catarina tem realizado esforços para a ampliação de leitos de UTI para crianças para atender a crescente demanda inclusive da iniciativa privada.

“Porém há escassez de vagas inclusive nestes estabelecimentos em um cenário preocupante de baixa cobertura vacinal de gestantes, bebês, crianças, adultos e idosos”, diz o documento enviado pela PGE à Vara da Infância e Juventude da Comarca de Florianópolis.


A situação da ocupação dos leitos de UTI neonatal em todo o território catarinense está sob apuração da 10ª Promotoria de Justiça da Comarca da Capital.


Fonte: ND+

Sem título-2-08.png