Sem título-2-08.png
  • Junior Sas

Saúde de Schroeder promove capacitação de agentes de campo para vigilância e controle do Aedes aegyp



A Secretaria Municipal de Saúde de Schroeder, com apoio da Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (DIVE/SC), promove capacitação de agentes de campo para vigilância e controle do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, da chikungunya, da zika e da febre amarela urbana.


O treinamento é voltado aos agentes comunitários de saúde do Município, tem 40 horas de duração e ocorre de 14 outubro a 15 de novembro deste ano.


A intenção, segundo a secretária de Saúde, Ingrit Eli Roweder, é que o grupo auxilie no programa de prevenção à dengue.


"Esses agentes comunitários poderão nos ajudar nas visitas que fazem nas casas dos moradores, na questão do trabalho voltado ao combate do mosquito Aedes aegypti, como verificação de pontos de água parada, entre outras situações", destaca.


A enfermeira Cristiane de Lima Pacheco, que atua na Vigilância Epidemiológica de Schroeder, explica que os agentes comunitários de saúde estão cumprindo 5 módulos on-line, na sala de reuniões do setor de Vigilância Epidemiológica.


"O último módulo vai ser presencial. Uma biólogo do Estado virá capacitar a equipe em campo, para que possamos fazer os serviços de controle do Aedes no município", detalha.


Com a chegada do verão, o risco de novos focos do mosquito é maior. "Por isso, os profissionais estão sendo capacitados", explica Ingrit. Caso ocorra um aumento muito grande no número de focos ou no número de suspeitos de dengue no município, as profissionais poderão ajudar no trabalho em campo.


Até o momento, conforme Cristiane, foram identificados neste ano 12 focos do mosquito Aedes no munícipio, por meio do monitoramento usando armadilhas.


"Com a chegada do verão, esse número tende a aumentar. O mosquito gosta do calor. Como nosso verão é bem quente e também temos vários períodos de chuva nesta época, isso facilita a proliferação do Aedes aegypti", cita.


Portanto, deve-se evitar deixar água parada, como em vasos de plantas, pneus, garrafas plásticas, piscinas sem uso e sem manutenção, calhas, caixas d'água e até mesmo em recipientes pequenos, como tampas de garrafa.


"Orientamos a população a dar uma volta em seu terreno e no ambiente de casa, pelo menos uma vez por semana, para ver se tem água parada e eliminar todos os recipientes que possam acumular água", recomenta a enfermeira.


O simples gesto de limpar os potes dos animais de estimação toda semana é uma grande ajuda para evitar a proliferação do mosquito Aedes.


O setor de Vigilância Epidemiológica de Schroeder alerta sobre a importância da ação dos moradores no combate ao mosquito.


"Nós podemos orientar e fazer as visitas, mas quem vai nos ajudar no combate é realmente a população, não deixando água parada, verificando se a sua caixa d'água está tampada, se a calha não está entupida ou com água parada. Todos esses ambientes devem ser observados na residência", finaliza.

Sem título-2-08.png